China e Rússia criarão segunda rota para transportar gás

Os líderes da China e da Rússia assinaram acordos neste domingo para impulsionar a cooperação energética entre os dois países, incluindo um entendimento para o desenvolvimento de uma segunda rota para suprir o lado chinês com gás russo. A cooperação com a China ajuda a fortalecer a economia russa em um momento no qual os Estados Unidos e a Europa mantêm sanções contra Moscou e se tornam cada vez mais cautelosos com o Kremlin devido à crise na Ucrânia.

Estadão Conteúdo

09 Novembro 2014 | 12h57

Os presidente xi Jinping, da China, e Vladimir Putin, da Rússia, conduziram a assinatura dos acordos, que também incluem tratados de financiamento, após se reunirem em Pequim, onde ocorre o fórum para Cooperação Econômica Ásia-Pacífico.

"Em relação à cooperação na esfera internacional, o mais importante é a cooperação entre China e Rússia para manter o mundo dentro das margens da lei internacional, para torná-lo mais estável, mais previsível", disse Putin. "Juntos, nós fizemos muito para alcançar isso, e eu tenho certeza de que vamos trabalhar nessa direção no futuro."

Um dos acordos de entendimento aprova a criação de uma rota oeste para o transporte de gás russo. Em maio, os dois países já haviam concordado que a Rússia iria enviar 38 bilhões de metros cúbicos para a China por meio de uma rota leste. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ChinaRússiagás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.