China e Rússia vetam resolução sobre Zimbábue na ONU

Rússia e China vetaram nasexta-feira uma resolução proposta pelos Estados Unidos paraimpor sanções ao Zimbábue por causa das recentes eleiçõespresidenciais, cujo segundo turno foi boicotado pelo candidatoda oposição. O texto imporia um embargo armamentista ao Zimbábue erestrições financeiras e de viagens ao presidente Robert Mugabee 13 outros funcionários. Além disso, instituiria a figura deum enviado especial da ONU para o Zimbábue. Nove países votaram a favor da resolução, e cinco foramcontra (inclusive China e Rússia, que têm poder de veto). Houveuma abstenção, da Indonésia. O Ocidente esperava que China e Rússia pelo menos seabstivessem, diante da gravidade da situação no Zimbábue.África do Sul, Líbia e Vietnã também votaram contra. Os adversários da resolução alegam que a situação doZimbábue não configura uma ameaça à paz mundial, e que ogoverno e a oposição podem vir a se entender no diálogo queestá em curso na África do Sul. O embaixador britânico na ONU, John Sawers, disse que oConselho "se furtou à sua responsabilidade de fazer o possívelpara evitar que uma tragédia nacional se aprofunde e difundaseus efeitos por todo o sul da África". Grã-Bretanha, França, Itália, Bélgica, Croácia, BurkinaFaso, Panamá e Costa Rica votaram junto com os EUA pelaresolução. (Reportagem de Patrick Worsnip)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.