China e Taiwan assinam acordo comercial histórico

Grupos de busca tentam localizar sobreviventes em aldeia no sudoeste do país, região que vem sendo castigada por chuvas torrenciais.

BBC Brasil, BBC

29 de junho de 2010 | 07h00

China e Taiwan assinaram um pacto comercial para eliminação de tarifas que está sendo visto como o mais importante acordo entre as dois desde a guerra civil que separou os governos, há 60 anos.

Centenas de produtos serão beneficiados pelo Acordo de Estrutura de Cooperação Econômica, que deverá aumentar consideravelmente o comércio bilateral, atualmente em US$ 110 bilhões por ano.

Segundo o correspondente da BBC em Xangai Chris Hogg, o acordo traz mais vantagens para Taiwan, mas a China está mais interessada em eventuais benefícios para sua longa campanha pela unificação China e Taiwan.

O acordo está sendo creditado aos esforços do presidente taiwanês, Ma Ying-jeou, eleito dois anos atrás com a promessa de diminuir a tensão com o continente.

Setor de serviços

O acordo foi assinado na cidade de Chongqing, no continente chinês. O enviado taiwanês, Chiang Pin-kung, disse que o acordo representava "um momento crucial no desenvolvimento das relações a longo prazo".

Atualmente, Taiwan exporta cerca de US$ 80 bilhões para a China, e importa cerca de US$ 30 bilhões do continente.

Sob o novo acordo, cerca de US$ 14 bilhões em produtos taiwaneses terão suas tarifas reduzidas ou eliminadas. As empresas da ilha também vão ganhar acesso a uma série de setores de serviços no continente, entre eles o bancário e o das seguradoras.

No caso da China, apenas US$ 3 bilhões em produtos exportados terão tarifas reduzidas.

A correspondente da BBC em Taipei Cindy Sui disse que o acordo é claramente vantajoso para Taiwan, mas muitos na ilha temem que o pacto torne Taiwan economicamente dependente da China e, consequentemente, vulnerável politicamente.

Muitos também desconfiam dos motivos por trás da decisão chinesa, argumentando que Pequim espera usar a medida para conquistar o apoio das grandes empresas de Taiwan.

Houve protestos nas ruas em Taiwan contra o acordo, mas pesquisas de opinião sugerem que a maioria dos moradores da ilha são favoráveis à medida.

Segundo Chris Hogg, os chineses do continente estão entusiasmados com o acordo, que é visto como uma forma de apertar os laços com Taiwan e de conquistar corações e mentes dos taiwaneses.

O premiê chinês, Wen Jiabao, já havia dito que seu país "pode abrir mão de nossos lucros porque os compatriotas taiwaneses são nossos irmãos".

A relação entre os dois lados esteve estremecida durante décadas.

Taiwan e a China têm governos separados desde o fim da guerra civil, em 1949.

O local da assinatura do acordo, Chongqing, tem ressonância histórica. O líder comunista Mão Tse-Tung e o presidente nacionalista Chiang Kai-shek fracassaram na tentativa de assinar um armistício na cidade. Chiang foi forçado a fugir para Taiwan em 1949.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.