China e Taiwan detêm 800 em ação contra fraudes

A polícia de Taiwan informou nesta quarta-feira que deteve 827 pessoas suspeitas de fraude, dentre elas quase 500 chineses e mais de 300 taiwaneses, durante uma operação internacional de combate a esse tipo de crime.

AE, Agência Estado

28 Setembro 2011 | 11h11

A ação, que envolveu a polícia da China e de sete países do sudeste asiático, ocorreu após uma operação anterior, realizada em junho, quando 589 suspeitos foram presos, informou em comunicado o Escritório de Investigações Criminais.

Na China, dentre os vários grupos alvos da ação, está uma rede liderada por taiwaneses chamada "Mu Sheng", que teria obtido 120 milhões de yuans (US$ 18,75 milhões) em fraudes contra vítimas na China e em Taiwan.

A polícia descobriu que o grupo havia usado equipamentos de telefone e internet para montar o esquema na Indonésia, Camboja, Malásia, Tailândia, Vietnã, Laos e Filipinas.

"Crimes que cruzam fronteiras se tornaram uma tendência no século 21 e não é provável que possam ser solucionados por países de forma individual", disse o escritório.

As ações na China envolveram 1.900 policiais, o que só foi possível após um acordo assinado em 2009 entre Taipé e Pequim para a cooperação no combate a crimes que atingem as crescentes trocas financeiras entre os dois países. Em Taiwan, mais de 600 policiais foram mobilizados em ações separada, que levaram à prisão de 123 suspeitos. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
China Taiwan fraudes prisões

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.