China envia aviões para zona de defesa em resposta a voos dos EUA e Japão

A China enviou aviões para a sua nova zona de defesa aérea nesta sexta-feira, em resposta à entrada de voos de espionagem norte-americanos e de 10 aeronaves japonesas na área delimitada sobre o Mar Oriental da China, disse a agência de notícias estatal chinesa, Xinhua.

Reuters

29 de novembro de 2013 | 19h26

Os jatos chineses foram enviados para um monitoramento efetivo, disse a Xinhua, citando um porta-voz da Força Aérea. O relato não trouxe mais detalhes.

Japão e Coreia do Sul disseram na quinta-feira que fizeram voos militares na região, que inclui o céu sobre as ilhas que são tema de disputa territorial entre chineses e japoneses. Washington enviou dois aviões no início da semana em apoio ao aliado Japão. A China não foi informada sobre nenhum desses voos.

O Pentágono não confirmou nem negou o relato chinês de que dois aviões espiões dos Estados Unidos haviam entrado na área de defesa.

Uma autoridade da área de defesa norte-americana, falando à Reuters de forma anônima, disse que o país estava fazendo voos de rotina na região, incluindo voos de reconhecimento e vigilância.

Na semana passada, a China havia anunciado que aviões estrangeiros, inclusive de passageiros, que passassem pela área delimitada teriam que se identificar às autoridades do país.

(Por Ben Blanchard e Roberta Rampton)

Mais conteúdo sobre:
CHINAZONADEDEFESA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.