China envia navio a área em disputa para 'proteger soberania'

Embracação passará perto das disputadas ilhas Paracel e Spratly, no Mar do Sul da China

REUTERS

16 de junho de 2011 | 10h20

Filipinos protestam contra o que chama de 'incursão militar chinesa'        

 

 

PEQUIM - O governo chinês enviou um dos maiores navios civis de patrulha marítima do país para o Mar do Sul da China para proteger seus "direitos e soberania", disse a imprensa oficial nesta quinta-feira, 16, numa iniciativa que provavelmente elevará as tensões com nações vizinhas que também reivindicam parte da área, na qual se acredita haver reservas de petróleo e gás.

O navio Haixun 31, da Administração de Segurança Marítima Chinesa, partiu do sul da China na quarta-feira com destino à Cingapura, passando perto do conjunto de ilhas Paracel e Spratly, que estão no centro da disputa com o Vietnã, Filipinas e outros países.

A mídia chinesa foi clara sobre os objetivos da viagem, o que causou preocupação nas Filipinas.

"O maior navio de patrulha marítima de nosso país patrulha o Mar do Sul da China", dizia a manchete do jornal oficial Diário de Pequim.

O Haixun 31 iria monitorar transporte, realizar pesquisas, inspecionar poços de petróleo e "proteger a segurança marítima", afirmou o jornal - medidas que poderiam levar a um confronto com outros países que também fazem pressão por direitos sobre o mar.

O jornal informou que o navio também iria inspecionar embarcações estrangeiras ancoradas ou operando em águas reivindicadas pela China.

O Haixun 31 é um dos dois navios de mesma proporção que não possuem o pesado equipamento bélico de vasos de guerra também de grande porte. Mas é uma das mais avançadas embarcações chinesas de patrulha marítima. Tem pista de pouso de helicóptero e pode ficar no mar por 40 dias, a uma velocidade de 18 nós, segundo o Diário de Pequim.

A China tomou a decisão depois de semanas de troca de acusações com o Vietnã e as Filipinas sobre o que cada lado considera invasão e reivindicação ilegítima da parte do outro em uma faixa de mar que é importante rota de passagem de navios.

As Filipinas ficariam preocupadas se a China demarcasse áreas disputadas no Mar do Sul da China, disse nesta quinta-feira o secretário de Relações Exteriores do país, Albert del Rosário, depois de conversações com seu colega australiano, em Canberra, Austrália.

O porta-voz da chancelaria chinesa, Hong Lei, declarou a repórteres em Pequim que o Haixun 31 estava realizando uma visita "normal" e o governo na China continua disposto a resolver as disputas territoriais por meio de negociações bilaterais.

(Reportagem adicional de Michael Martina e Sabrina Mao em Pequim e James Grubel em Canberra)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINANAVIODISPUTAMAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.