China envia patrulha a arquipélago disputado

Medida é tomada após Tóquio anunciar compra de território cuja soberania é reivindicada pelos dois países

TÓQUIO , O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2012 | 03h05

O governo chinês enviou ontem dois barcos de patrulha para as Ilhas Diaoyu (ou Senkaku , para os japoneses) no Mar da China Oriental. A soberania do arquipélago é disputada entre Pequim e Tóquio. A situação agravou-se após o Japão anunciar que nacionalizaria as ilhas. O plano de comprá-las por US$ 26 milhões dos atuais proprietários foi aprovado na segunda-feira pelo governo japonês.

"Os militares chineses expressam sua resoluta oposição e seu forte protesto a isto", disse um porta-voz no site do Ministério da Defesa da China. "O governo e os militares chineses estão irredutíveis em sua determinação e defenderão a soberania do território nacional. Estamos acompanhando de perto o desenrolar dos fatos e nos reservamos o poder de adotar medidas correspondentes."

As três ilhas são desabitadas e haviam sido cedidas em comodato por Tóquio a uma família japonesa que detém sua posse desde o começo dos anos 70. O governo japonês disse que a intenção de comprá-las é "pacífica". A Guarda Costeira japonesa administrará as ilhas, que ficam próximas de áreas pesqueiras e de campos de gás natural.

O porta-voz do Ministério da Defesa chinês acusou o Japão de "usar todo o tipo de pretexto para ampliar as tensões regionais e seus armamentos". Em geral, Pequim evita mobilizar forças militares para áreas marítimas disputadas com países vizinhos, preferindo usar embarcações civis para reafirmar suas reivindicações de soberania.

A agência estatal de notícias Xinhua, porém, disse que as duas embarcações da Vigilância Marítima da China chegaram ontem aos arredores das ilhas. O órgão é responsável pelo patrulhamento das águas territoriais chinesas, mas não é subordinado à Marinha. A Guarda Costeira japonesa não confirmou a presença de embarcações chinesas na região.

Soberania. A disputa pelas ilhotas dura mais de um século. A China foi obrigada a entregar o arquipélago ao Japão em 1895, após ser derrotada na 1.ª Guerra Sino-Japonesa. Com o fim da 2.ª Guerra, Tóquio perdeu todos os territórios que havia conquistado na região e elas passaram a ser administradas pelos EUA, que as devolveram ao Japão em 1971 - ato nunca reconhecido por Pequim.

Ativistas que partiram de Hong Kong foram presos pela Guarda Costeira japonesa depois de desembarcarem nas ilhas - eles foram deportados em agosto. O episódio levou a China a suspender os contatos de alto nível entre os dois países. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.