China envia patrulha aérea para nova zona de defesa, diz agência estatal

O Exército chinês enviou vários aviões militares para patrulhar o espaço aéreo sobre o Mar Oriental da China nesta quinta-feira, relatou a Xinhua, agência estatal de notícias, citando um porta-voz da Força Aérea do Exército de Libertação Popular.

Reuters

28 de novembro de 2013 | 18h30

A missão consistiu, segundo a Xinhua, numa "patrulha aérea normal" na nova zona de defesa aérea declarada pelo governo chinês.

A iniciativa chinesa contribui com a tensão entre o país, de um lado, e os Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, do outro, sobre a região. Japoneses e sul-coreanos também enviaram aviões à área nesta quinta-feira.

A missão de patrulha chinesa foi "uma medida defensiva e em linha com práticas comuns internacionais", disse o porta-voz da Força Aérea da China, Shen Jinke, na reportagem da Xinhua.

O texto da Xinhua diz que a Força Aérea chinesa está "em alto grau de alerta e tomará as medidas necessárias para lidar com as diversas ameaças aéreas a fim de proteger firmemente a segurança do espaço aéreo do país".

(Reportagem de Roberta Rampton)

Mais conteúdo sobre:
CHINAPATRULHADEFESA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.