China estabelece zona de defesa aérea e Japão protesta

O Ministério da Defesa chinês divulgou neste sábado um mapa de uma zona de defesa antiaérea e identificação obrigatória de aeronaves que voam sobre o Mar da China Oriental. A área inclui uma cadeia de ilhas também reivindicadas pelo Japão, o que levou Tóquio a protestar contra a medida.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2013 | 09h41

A China emitiu uma série de regras para a zona, alegando que todos as aeronaves devem notificar as autoridades chineses e estão sujeitas a medidas militares emergenciais se não se identificarem ou não obedecerem as ordens de Pequim. As regras entraram em vigor neste sábado.

Em Tóquio, Junichi Ihara, chefe de assuntos Asiáticos e da Oceania da chancelaria, reclamou com o embaixador chinês para o Japão, Han Zhiqiang, dizendo que a área é "totalmente inaceitável". Ihara também criticou a China por criar a zona de forma unilateral. Tanto Pequim quanto Tóquio reivindicam as ilhas, conhecidas como Senkaku no Japão e Diaoyu na China. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaJapãodefesaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.