China estende isenção fiscal para criar empregos

A China informou que vai estender as isenções fiscais para empresas e expandir o escopo de tais medidas para criar empregos. As isenções são fornecidas aos empregadores que criarem empregos e indivíduos que abrem empresas. Elas expiraram no fim do ano passado, mas agora serão estendidas por mais três anos, segundo o Ministério de Finanças.

AE, Agência Estado

29 de abril de 2014 | 12h28

Alguns empregadores terão isenção de até 5,2 mil yuans (US$ 831) anualmente por cada emprego se assinarem um contrato com os empregados por mais de um ano e pagarem a seguridade social deles de acordo com a lei. As medidas antigas davam uma isenção de até 4,8 mil yuans. Indivíduos desempregados que abrirem um negócio próprio poderão receber uma isenção de até 9,6 mil yuans por ano, acima de 8,0 mil yuans anteriormente.

O governo de Pequim tem enfatizado que garantir uma quantidade suficiente de empregos é uma das principais metas políticas e que pretende criar 10 milhões de postos de trabalho neste ano. Dados oficiais mostram que, por enquanto, o mercado de trabalho está firme, apesar da desaceleração da economia chinesa.

A pesquisa de empregos do primeiro trimestre deste ano, publicada na semana passada pelo Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social, mostrou que há 111 empregos para cada 100 pessoas em busca de trabalho. A economia da China cresceu 7,4% nos três primeiros meses deste ano, menos do que 7,7% no quarto trimestre do ano passado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaempregos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.