China estuda relaxar política de controle familiar

Governo está preocupado com o envelhecimento da população; restrições cercam as famílias desde 1970

REUTERS

28 de fevereiro de 2008 | 13h08

Preocupado com o envelhecimento dapopulação, o governo da China está estudando mudanças napolítica que só permite um filho por casal no país, mas não vaianular as medidas de planejamento familiar, informou umfuncionário do alto escalão do governo. Com a maior população do mundo e pressionada pela escassezde terra, água e fontes de energia, a China tem desde os anos1970 leis que restringem o tamanho das famílias. As normasvariam, mas geralmente limitam as famílias a um filho ou adois, no caso das regiões rurais. "Queremos fazer essa mudança em alguns casos", disse aosjornalistas, em Pequim, a vice-ministra da Comissão dePlanejamento Familiar e População Nacional, Zhao Baige. "Não posso responder quando ou como, mas esta questão setornou importante entre os tomadores de decisões", disse Zhao.Ela acrescentou que a meta atual é estudar a questão comseriedade e responsabilidade, mas evitar mudanças bruscas quepoderiam provocar uma alta nos nascimentos de crianças. "Grupos minoritários já têm dois filhos, até três, e emcidades como Xangai e Pequim muitos filhos únicos estãoliberados (para ter duas crianças), mas o mais importante sãoas famílias nas regiões intermediárias, como Henan... Ali, sãoquase cem milhões de pessoas, mas, por serem fortementeinfluenciadas pelo modo tradicional, eles querem um filho(homem). Mas nessa região o meio-ambiente já é muito frágil." As equipes que estudam o assunto terão de levar em conta apressão da população sobre os escassos recursos e os costumesdos chineses, além do tamanho da proteção social que a Chinatem condições de oferecer, disse ela. Pesquisas mostram que 60 por cento dos chineses com menosde 30 anos querem no máximo dois filhos e somente um percentual"muito pequeno" quer mais de três, segundo Zhao. O número médio de filhos por mulher caiu para 1,8atualmente na China, bem abaixo dos 5,8 na década de 1970 eabaixo da taxa de renovação da população. Nos últimos anos a China tem procurado relaxar suaspolíticas frequentemente controversas de controle familiar, asquais incluem abortos forçados e outras medidas punitivas.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAPOPULACAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.