China, EUA e Coréia do Norte voltam a se reunir

Christopher Hill, Wu Dawei e Kim Kye-gwan, respectivamente negociadores dos EUA, China e Coréia do Norte para a crise nuclear norte-coreana, voltaram a se reunir nesta quarta-feira, em Pequim, para tentar retomar as conversas de seis lados, informaram fontes diplomáticas americanas. É o segundo dia consecutivo de reuniões entre as duas partes com posições mais afastadas da crise (EUA e Coréia do Norte), com a ajuda do mediador chinês. De acordo com a porta-voz da embaixada americana em Pequim, Susan Stevenson, Hill deve ir nesta quarta-feira a Seul, a capital sul-coreana, para continuar os contatos. Mas "os planos podem mudar conforme as circunstâncias". As negociações de seis lados entre China, EUA, Japão, Rússia e as duas Coréias estão paralisadas há um ano. Mas os negociadores chineses conseguiram esta semana reunir em Pequim representantes de cinco países. Só o russo não foi às conversas, por estar doente. Washington afirmou que espera que nas conversas desta semana Pyongyang demonstre seu compromisso de abandonar o programa de armas nucleares, como prometeu no princípio de acordo conseguido em 9 de setembro de 2005. A Coréia do Norte se retirou do diálogo no ano passado em protesto contra as sanções financeiras impostas pelos EUA.

Agencia Estado,

29 Novembro 2006 | 03h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.