China exige a Dalai Lama renúncia total à independência

A China considerará a aprovação da visita do Dalai Lama, líder espiritual tibetano no exílio, se ele renunciar a seu desejo de independência do Tibet, algo que ainda não fez claramente, afirmou o diretor da Administração Estatal de Assuntos Religiosos ao jornal China Daily. "Se o Dalai Lama deixar claro que renunciou totalmente à independência do Tibet, é possível que consideremos a visita.", declarou Ye Xiaowen. Ele considerou que o líder espiritual não conseguiu "enviar uma mensagem clara sobre sua postura", apesar de ter reiterado que já não pretende obter a independência de seu povo, mas uma ampla autonomia que permita o desenvolvimento religioso e cultural. As declarações de Ye chegam após o desejo mostrado no mês passado pelo líder espiritual tibetano de voltar em peregrinação aos lugares relevantes do budismo na China.

Agencia Estado,

03 Abril 2006 | 05h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.