China expulsa jornalista pela primeira vez desde 1998

Atitude é vista como a última tentativa de Pequim de punir a imprensa internacional

AE, Agência Estado

08 Maio 2012 | 09h07

PEQUIM - A China expulsou do país nesta terça-feira, 8, uma jornalista da rede de TV pan-árabe Al Jazeera, no primeiro caso do gênero desde 1998. A expulsão de Melissa Chan, uma repórter de origem norte-americana, foi anunciada pela própria Al Jazeera.

A atitude é vista como a última tentativa de Pequim de punir a imprensa internacional, cujas reportagens desagradam às autoridades chinesas e são tidas como desfavoráveis para a imagem internacional da China.

A decisão "parece estar levando as políticas antimídia da China para um novo nível", disse em comunicado Bob Dietz, coordenador na Ásia do Comitê para Proteção de Jornalistas.

A Al Jazeera informou que foi obrigada a fechar o escritório de seu serviço em língua inglesa na China porque as credenciais de imprensa e o visto de Chan não foram renovados. Chan, que estava no país há cinco anos, fez uma série de reportagens sobre assuntos delicados como a apreensão ilegal de terras rurais e a detenção de chineses em prisões não oficiais.

A rede de TV não disse se algum motivo oficial foi dado para a expulsão da repórter. A Al Jazeera manterá os serviços em língua árabe em Pequim, onde ainda mantém vários jornalistas credenciados.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
China jornalista expulsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.