China faz nova advertência a Taiwan

O principal órgão assessor da China encerrou sua sessão anual com uma resolução política que instaura o país a "se opor firmemente" e "controlar" as atividades e forças que buscam a independência de Taiwan. "Uniremos todos os descendentes da nação chinesa que amam a mãe pátria para que se oponham firmemente e controlem as forças e atividades separatistas, além de contribuir para o desenvolvimento das relações dos dois lados do Estreito (de Formosa) e a reunificação de nossa mãe pátria", diz a resolução. Recolhida no site do Governo, a resolução foi assinada pelos 2.000 assessores governamentais que participam do último dia da sessão plenária anual da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPC), iniciada em 3 de março. O texto destaca que as autoridades taiuanesas aceleraram os passos na busca da independência da ilha, em um "desafio aberto" à "forte oposição dos compatriotas chineses". Precisamente neste fim de semana, o presidente da China, Hu Jintao, pediu ao Exército que reforce a defesa nacional e avance na construção militar para "salvaguardar a soberania nacional, a unificação, a integridade territorial e a segurança". Durante estas duas semanas, a Conferência, presidida por Jia Qinglin, analisou o XI Plano Qüinqüenal (2006-2010), que será votado amanhã pelos 3.000 integrantes da ANP. No total, recebeu 5.030 propostas, das quais mais de 2.200 se relacionaram com o crescimento econômico.

Agencia Estado,

13 Março 2006 | 05h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.