China fecha seus aviões para cidadãos de 19 países

O governo chinês proibiu os cidadãos de 19 países, principalmente do Oriente Médio, de voar em suas companhias aéreas estatais por causa dos atentados terroristas nos Estados Unidos em 11 de setembro. As autoridades enviaram uma nota "urgente" às principais agências de viagem na qual figura a lista de países cujos cidadãos não podem voar com as linhas aéreas chinesas. A lista inclui Afeganistão, Paquistão, Israel, Egito, Síria, Jordânia, Líbano, Irã, Iraque, Emirados Árabes Unidos, Omã, Bahrein, Catar, Arábia Saudita, Iemên, Kuwait, Sudão, Líbia e Argélia. O comunicado ressalta que "cidadãos de origem palestina" também estão proibidos de voar. A nota ainda ordena o cancelamento e devolução do dinheiro àquelas pessoas dos países implicados que já tenham o bilhete, e pede às agências que entrem em contato com quem já tinha reserva de vôo, para informá-los de que não podem voar com as companhias aéreas chinesas. "Os cidadãos desses países deverão ser estritamente controlados. Mas eles terão de ser flexíveis e consultar a embaixada ou o consulado para saber se estão enquadrados na medida", informa o comunicado. A nota oficial enviada a todas as agências do mundo que operam com bilhetes de companhias aéreas chinesas, e se baseia em informações do Ministério dos Assuntos Exteriores e o Departamento de Aviação Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.