China flexibilizará política de filho único no início de 2014

A China apresentará no início do próximo ano mudanças recentemente anunciadas em sua rigorosa política de filho único, permitindo que casais tenham um segundo descendente, informou a mídia estatal.

Reuters

24 de dezembro de 2013 | 10h16

Espera-se que a alteração começe a vigorar em algumas áreas do país no primeiro trimestre de 2014, disse Yang Wenzhuang, diretor da Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar, citado pela agência de notícias Xinhua.

Pequim disse no mês passado que iria permitir que milhões de famílias tenham dois filhos, no mais radical afrouxamento em sua rigorosa política do filho único em quase três décadas.

A medida é parte de um plano para aumentar as taxas de fecundidade e aliviar a carga financeira sobre a população chinesa, que está envelhecendo em ritmo acelerado. As autoridades estão em processo de calcular o número de casais que poderão participar do programa, disse Yang.

O gigante asiático com cerca de 1,4 bilhão de pessoas é o país mais populoso do mundo. O governo chinês disse que a política de limitar as famílias a um único filho cobre 63 por cento da população e impediu 400 milhões de nascimentos desde 1980.

(Reportagem de Adam Jourdan; reportagem adicional de Ben Blanchard)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAFILHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.