China garante que exploração lunar não tem fins militares

A exploração lunar da China tem comoobjetivo novas descobertas científicas e tecnológicas, e nãomotivos militares, afirmou a autoridade espacial do país nestaquinta-feira, ao anunciar um entusiasmado relatório sobre osatélite chinês que vai orbitar a Lua. A China lançou seu primeiro satélite que orbitará a Lua nasemana passada, em meio a grandes festejos no país pelaconquista espacial e a proeza tecnológica. A não ser que hajaalgum problema, o satélite entrará em órbita lunar em 5 denovembro. "Todos os objetivos (do programa) são projetados sempropósitos militares", disse o porta-voz da AdministraçãoNacional Espacial da China Pei Zhaoyu, em uma entrevistacoletiva em Pequim. "Esperamos desenvolver novos objetivos científicos ecapacidades tecnológicas, e tentar fazer algo que ninguémjamais tenha feito antes", acrescentou Pei. "A China sempreaderiu ao princípio de uso pacífico do espaço." Pei disse que a nave espacial deixou a órbita da Terra nanoite de quarta-feira e começou sua viagem de cinco dias até aLua. "Todos os sistemas a bordo estão atualmente em excelentescondições, e a espaçonave está na trajetória esperada." Quando alcançar a órbita lunar, o satélite vai examinar asuperfície da Lua em preparação para o envio em 2012 de umveículo lunar, e no futuro, uma aterrissagem com tripulaçãohumana. (Por Ian Ransom)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.