China: governo preocupado com foguete norte-coreano

O ministro de Relações Exteriores da China, Yang Jiechi, disse que seu país está "preocupado" com o iminente lançamento do foguete da Coreia do Norte, à medida que o regime de Pyongyang voltou a insistir que a operação é para enviar um satélite pacífico ao espaço, e não um míssil.

DOW JONES, Agência Estado

09 de abril de 2012 | 02h29

Yang afirmou ontem, a seus colegas sul-coreano e japonês, que a paz na península coreana é do interesse de todos. "Yang Jiechi disse que a China está interessada e preocupada com os desenvolvimentos da questão", informou a chancelaria, em um comunicado, após reunião dos três ministros na cidade chinesa de Ningbo.

"A China exorta as partes interessadas a se concentrar sobre a situação global e olhar no longo prazo, manter a calma e a moderação, e usar meios diplomáticos e pacíficos para resolver adequadamente os problemas relevantes."

As preocupações estão crescendo sobre o foguete da Coreia do Norte, programado para ser lançado entre 12 de abril e 16 de abril, apesar das garantias da nação asiática, que possui armas nucleares, de que será para enviar um satélite científico, e não um míssil balístico.

O Japão implantou baterias de mísseis para proteger Tóquio e enviou três destróieres transportando mísseis interceptores para o Mar da China Oriental. O primeiro-ministro Yoshihiko Noda já deu luz verde para abater o foguete, caso ele ameace o território japonês.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaCoreia do Nortefoguetenuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.