China indicia por homicídio mulher de ex-líder no PC

A esposa do ex-dirigente comunista Bo Xilai, Gu Kailai, foi indiciada por suspeita de homicídio doloso, disse a agência de notícias chinesa Xinhua, em mais um capítulo de um escândalo que abalou a sucessão na cúpula partidária.

Reuters

26 de julho de 2012 | 10h26

"Gu e Zhang Xiaojun, empregado da família, serão processados por supostamente envenenarem o empresário britânico Neil Heywood, por causa de um "conflito de interesses econômicos", segundo declarações de autoridades à Xinhua, que disse haver ""evidências substanciais e irrefutáveis" contra os dois acusados.

A reportagem não informou a data do julgamento, mas um advogado da família disse à Reuters que provavelmente será nos dias 7 e 8 de agosto.

O anúncio ocorre meses antes de o Partido Comunista (partido único) apresentar sua nova liderança, em um processo sucessório que acontece a cada dez anos.

Heywood foi envenenado em novembro de 2011 depois que ameaçou expor um plano de Gu para transferir dinheiro para o exterior, segundo a Reuters apurou em abril com duas fontes familiarizadas com a investigação.

Gu está presa há meses, e o escândalo fez com que Bo, até então dirigente máximo do PC na cidade de Chongqing, fosse afastado do seu cargo, além de perder a chance de ascender na hierarquia partidária.

Bo está sendo investigado por violação da disciplina partidária, e pode ser alvo de um inquérito criminal. Bo e Gu, que é advogada, não são vistos em público há vários meses.

Muitos simpatizantes de Bo, um político considerado "de esquerda dentro do regime comunista chinês, dizem que ele propunha um caminho novo e necessário para o país, e que foi vítima inocente de um complô político.

O 18º Congresso do Partido, marcado para este ano, vai nomear novos líderes para o país mais populoso do mundo. O presidente Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao vão deixar seus atuais cargos durante o Congresso Nacional do Povo, no começo de 2013. O vice-presidente Xi Jinping é cotado para ser o novo presidente.

(Reportagem de Michael Martina e Nick Edwards)

Mais conteúdo sobre:
CHINABOPARTIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.