China Out via REUTERS
China Out via REUTERS

China inicia desconfinamento em Xi'an após 1 mês, mas se preocupa com casos de covid 

s primeiros voos comerciais em um mês decolaram neste sábado, 22, de Xi'an, no norte da China, depois que o governo diminuiu as restrições de viagens impostas após um surto de coronavírus há cerca de um mês

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2022 | 11h18

PEQUIM - Os primeiros voos comerciais em um mês decolaram neste sábado, 22, de Xi'an, no norte da China, depois que o governo diminuiu as restrições de viagens impostas após um surto de coronavírus há cerca de um mês. A informação é da agência de notícias Associated Press.

Na terça-feira, 18, a televisão pública CCTV transmitiu imagens de trens saindo deXi'an e alguns passageiros entrando na estação, quando o serviço de alguns transportes públicos foi reativado nas chamadas áreas de "baixo risco", indicando o levantando parcial de medidas de confinamento.

Desde o final de dezembro, os 13 milhões de habitantes de Xi'an, cidade histórica ao norte da China, estão sob estrito confinamento domiciliar, em um dos movimentos de restrição mais rigorosos do país.

Cidades em toda a China impuseram, nas últimas semanas, restrições mais duras para controlar novos surtos de covid-19, enquantoPequim se prepara para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno em menos de duas semanas.

A capital da China pediu que todos seus distritos mantenham, neste sábado, 22, "modo de emergência total", enquanto a cidade continua a detectar novos casos locais de coronavírus.

Foram identificados 27 casos de transmissão doméstica com sintomas confirmados e cinco portadores assintomáticos em Pequim desde 15 de janeiro, segundo Pang Xinghuo, funcionário da autoridade de controle de doenças da cidade./ AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.