China inicia processo de adoção de 88 órfãos do terremoto

Das 532 pessoas que perderam os pais no terremoto, 240 tinham menos de 14 anos

EFE

24 de agosto de 2008 | 04h09

As autoridades provinciais de Sichuan, devastada pelo terremoto de 12 de maio, iniciaram o processo de adoção de 88 crianças que perderam os pais na tragédia. O processo, que faz parte das tarefas de reconstrução e de recuperação da vida normal na castigada província, permite a adoção dos órfãos somente a famílias chinesas qualificadas pelo Ministério de Assuntos Civis e da província. Das 532 crianças que perderam os pais no terremoto, 240 tinham menos de 14 anos, mas a maioria tem avôs e outros familiares sobreviventes. Somente 88 crianças não têm família e precisam ser adotados, disse Chen Kefu, vice-diretor do departamento provincial de Assuntos Civis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.