China intensifica segurança na fronteira com a Coréia do Norte

A China começou a inspecionar os caminhõesde carga em sua fronteira com a Coréia do Norte, onde fortaleceu as medidas de segurança, informou a imprensa chinesa. Trata-se do primeirosinal de que o governo chinês está cumprindo as sanções impostas pela ONU em conseqüência do teste nuclear norte-coreano. De acordo com o jornal Oriental Morning Post, primeiro do país que informa sobre atividades na fronteira, a segurança não sóaumentou no tráfego terrestre, mas também no marítimo. A entrada de turistas chineses na Coréia do Norte foi proibida. Houve um aumento da vigilância na localidade de Hunchun, na parte oriental da fronteira. De acordo com habitantes da região de fronteira, muitos caminhões foram detidos, embora seja difícil saber se as cargas foram inspecionadas minuciosamente. Segundo o especialista Xu Guanyu, da Associação Chinesa para o Desarmamento e o Controle de Armamento, as inspeções são meramente simbólicas e que com elas Pequim quer sinalizar à ONU seu interesse em cumprir as sanções. "A China não está envolvida no comércio de armas e outros bens proibidos pela resolução da ONU, portanto não há muito a fazer na prática. É só para a Coréia do Norte conhecer a nossa opinião",disse Xu à imprensa estrangeira. A China votou a favor das sanções, na resolução do dia 14. Mas mostrou reservas ao aumento das inspeções na fronteira da Coréia doNorte. Como a fronteira entre as duas Coréias está fechada e fortemente vigiada pelos dois Exércitos, a única opção de entrada de mercadorias no país é pela China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.