China interroga 4 japoneses por filmarem em área militar

Quatro japoneses foram interrogados por entrar em uma zona militar do norte de China sem autorização e por terem gravado ilegalmente imagens de alvos militares. As autoridades de segurança em Shijiazhuang, capital da província de Hebei, tomaram medidas contra o grupo após receberem informações sobre suas atividades ilegais, informou a agência de noticias Xinhua.

AE, Agência Estado

23 de setembro de 2010 | 14h02

"Atualmente, o caso está sendo investigado", disseram as autoridades de segurança, em comunicado, citado pela agência. O incidente ocorre no momento em que Pequim e Tóquio estão envolvidos numa disputa sobre a prisão do capitão de um barco chinês pelo Japão em águas disputadas pelos dois países.

A disputa teve início quando o barco de pesca chinês e dois navios da guarda costeira japonesa se chocaram no dia 7 de setembro, perto das disputadas ilhas ricas em peixes e onde há possíveis reservas de gás e petróleo. A China reagiu à prisão do capitão, exigindo sua libertação, chamando seis vezes o embaixador no Japão, suspendendo trocas de alto nível com o país e cancelando vários eventos culturais.

A disputa entre o gigante asiático e a mais avançada economia da região preocupa Washington. A secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton pediu o diálogo entre os dois países ao se reunir hoje, em Nova York, com o ministro de Relações Exteriores do Japão, Seiji Maehara. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
crisediplomáticaChinaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.