China investiga vice-prefeito de Xangai por suspeita de corrupção

O vice-prefeito de Xangai, Ai Baojun, encarregado da zona de livre comércio experimental da cidade, está sendo investigado por suspeita de "graves violações da disciplina", disse nesta terça-feira o órgão anticorrupção do governista Partido Comunista, usando o eufemismo habitual para corrupção.

REUTERS

10 de novembro de 2015 | 09h18

A Comissão Central de Inspeção Disciplinar não deu mais detalhes da investigação sobre o vice-prefeito, o funcionário mais graduado do centro financeiro da China a ser alvo da campanha anticorrupção iniciada pelo presidente Xi Jinping após assumir o poder, cerca de três anos atrás.

Não foi possível contatar Ai para comentários e não está claro se ele tem um advogado.

Nascido na província de Liaoning, no nordeste da China, Ai se tornou vice-prefeito de Xangai em dezembro de 2007, segundo uma biografia oficial online.

Ele chefia a comissão que administra a Zona de Livre Comércio de Xangai desde o seu lançamento, em setembro de 2013, como parte de um esforço do governo para testar um ambiente mais aberto e simplificado para as empresas estrangeiras fazerem negócios, além do relaxamento das políticas para vários setores de serviços.

Antes de entrar na política, Ai era professor universitário e, em seguida, galgou posições até chegar a gerente-geral da segunda maior produtora de aço da China, a Baosteel.

(Reportagem de John Ruwitch em Xangai e Ben Blanchard em Pequim)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAINVESTIGAPREFEITOXANGAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.