China: investigação sobre Rio Tinto tem foco econômico

A China informou ao governo australiano que a investigação criminal sobre os funcionários da Rio Tinto está focada nas questões econômicas e comerciais e não em espionagem, relatou hoje o ministro de Relações Exteriores da Austrália, Stephen Smith.

AE-AP, Agencia Estado

19 de julho de 2009 | 12h00

"Está claro que o foco está na investigação criminal ou judicial, ligado às negociações de minério de ferro em 2009. E não em espionagem", reconheceu Smith à rede de televisão Australian Broadcasting Corp. Mas as autoridades australianas estão pressionando por mais detalhes, acrescentando que a China ainda não revelou nenhuma evidência que sustente as prisões.

O governo chinês prendeu um cidadão australiano, Stern Hurn, e mais três funcionários da companhia, no dia 5 de julho, sob a acusação de corrupção. A empresa anglo-australiana liderava, na ocasião, o processo de renegociação de preços de minério de ferro com as companhias chinesas. A mídia estatal informou que os executivos da Rio Tinto eram acusados de corrupção.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio TintoChinafuncioários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.