China investirá no desenvolvimento agrícola

A China irá concentrar-se este ano na elevação do pode aquisitivo de seus centenas de milhões de agricultores, afastar-se ainda mais da administração da economia e encorajar a iniciativa privada, anunciou ontem o primeiro-ministro à legislatura nacional. Pequim planeja permitir empreendimentos privados em todos os setores que não sejam de indústrias estratégicas-chave, afirmou Zhu, delineando os planos do governo na abertura da sessão anual do Congresso Nacional do Povo, de 11 dias.O governista Partido Comunista tem como meta um crescimento econômico anual de cerca de 7% pelos próximos cinco anos, afirmou Zhu. Ele quer dobrar a produção econômica até 2010 do US$ 1 trilhão registrado no ano passado.Pequim também planeja implementar esforços para a conservação de água, o combate à corrupção e preparar-se para a entrada na Organização Mundial do Comércio, disse Zhu em seu discurso de 100 minutos a 2.870 delegados no Grande Salão do Povo, nos arredores da Praça da Paz Celestial.Planos apresentados por Zhu contemplam uma economia baseada cada vez mais na iniciativa privada, no mercado de ações e em outros instrumentos capitalistas, com o governo desempenhando um ?papel-chave? e controlando indústrias de base. Apesar de duas décadas de reformas de mercado, as maiores companhias da China ainda são estatais e a propriedade privada é proibida em muitos setores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.