China já admite "medidas punitivas" contra a Coréia do Norte

A China já admite a imposição de algumas "medidas punitivas" pelo Conselho de Segurança (CS) da ONU contra a Coréia do Norte pela realização de um controverso teste nuclear na segunda-feira, sugeriu o embaixador chinês na ONU nesta terça-feira.Segundo Wang Guangya, o CS deve dar uma "resposta firme, construtiva e apropriada, mas prudente" contra a Coréia do Norte."Eu acho que deve haver alguma ação punitiva, mas também acho que a essa ação deve ser apropriada", disse ele.Wang falou antes de entrar em uma reunião entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança - Grã-Bretanha, China, França, Rússia e os Estados Unidos -, mais o Japão, para discutir um esboço de resolução contra Pyongyang proposto pelos EUA.O pacote incluiria um embargo nas exportações e importações de itens militares pelo regime norte-coreano, o poder para inspecionar todas as cargas que entram e saem do país, e o congelamento dos ativos ligados ao programa de armas. Além dessas sanções, o esboço contém também outras medidas propostas pelo Japão, como a proibição para que navios norte-coreanos atraquem em portos de todo mundo. Coréia x ChinaEnquanto os Estados Unidos e seus aliados querem uma resolução dura, a questão que se coloca é que tipo de punições a China permitiria serem adotadas. A China é uma aliada chave do fechado regime norte-coreano, e nos últimos anos tornou-se uma de suas únicas fontes de comida e combustível. Os comentários de Wang sugerem que Pequim pode permitir ao menos alguma força contra Pyongyang. Em Pequim, o Ministério do Exterior chinês voltou a ventilar sua indignação contra o teste nuclear de seu aliado comunista. Segundo um porta-voz do ministério, as relações entre os dois países está abalada. "O teste nuclear certamente terá um impacto negativo em nossas relações", disse o porta-voz Liu Jianchao. Pyongyang, por sua vez, elevou o tom de suas ameaças contra Washington. Segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap, um oficial norte-coreano advertiu que a nação comunista pode lançar mísseis com ogivas nucleares contra os EUA a menos que o país decida negociar seus conflitos com Pyongyang. "Nós esperamos que a situação se resolva antes que lancemos os mísseis", disse o oficial, cujo nome não foi revelado.Texto ampliado às 16h25

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.