China julga seis suspeitos de contaminar leite

Seis chineses começaram a ser julgados hoje por suspeita de participação na fabricação e na venda de melamina, o produto químico no epicentro de um escândalo de leite em pó contaminado ao qual são atribuídas seis mortes e a intoxicação de aproximadamente 300.000 crianças. Entre os réus levados hoje ao tribunal estava Zhang Yujun, de 40 anos, apontado como proprietário do empreendimento que funcionaria como principal fornecedor de melamina na China, informou a mídia estatal.A polícia chinesa, citada pela agência de notícias Xinhua, informou que Zhang administrava a fábrica, nos subúrbios de Jinan, na província oriental de Shandong, onde era produzido o "pó de proteína" no qual foi identificada a presença de melamina e de dextrina de malta. A mortífera mistura era incorporada ao leite em pó para que o produto parecesse conter mais proteínas.No mesmo processo, Zhang Yanzhang, de 24 anos, é acusado de comprar e revender 230 toneladas desse pó a outros comerciantes. A televisão estatal chinesa exibiu imagens dos dois réus no tribunal. Outros quatro réus começaram a ser julgados hoje em três diferentes cortes da província de Hebei por adição de produto químico ao leite e de revenda da substância ao Grupo Sanlu, laticínio situado no centro do escândalo e que esta semana informou estar em bancarrota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.