China lança 1º módulo de sua estação espacial

A China lançou ontem seu primeiro módulo espacial não tripulado, que ficará em órbita por dois anos e será usado no treinamento de manobras de aproximação e acoplagem para a construção da estação espacial que o país concluirá até 2020.

CLÁUDIA TREVISAN, CORRESPONDENTE / PEQUIM, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2011 | 03h06

O Tiangong-1 partiu do Centro de Lançamento de Satélites Jiuquan, na Província de Gansu. Em novembro, a também não tripulada nave Shenzhou-8 se acoplará ao módulo. As duas estruturas ficarão unidas por 12 dias e voltarão a se acoplar em data ainda a ser definida. Depois disso, a Shenzhou-8 voltará à Terra. Se o exercício for bem sucedido, ele se repetirá no próximo ano com as naves Shenzhou-9 e Shenzhou-10, que será tripulada.

O lançamento dá início à segunda etapa do programa espacial do país. A primeira foi o envio ao espaço do primeiro astronauta chinês, em 2003, que fez da China o terceiro país do mundo a realizar a façanha, ao lado de EUA e Rússia. A terceira etapa será a construção da estação espacial de 60 toneladas, bem menor do que a Estação Espacial Internacional, que tem 400 toneladas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.