China lança primeira mulher ao espaço

A China lançou ontem sua quarta missão tripulada ao espaço e a primeira a ser integrada por um mulher, Liu Yang. Os três astronautas ficarão em órbita durante 13 dias, durante os quais farão exercícios de acoplamento a um módulo lançado em setembro, etapa essencial para a construção da estação espacial independente que a China pretende concluir até 2020.

CLÁUDIA TREVISAN, CORRESPONDENTE / PEQUIM, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2012 | 03h04

A nave Shenzhou-9 partiu às 18h37 de ontem da base de lançamento Jiuquan, no deserto de Gobi, noroeste do país. O módulo espacial Tiangong-1, ao qual a Shenzhou-9 vai se acoplar, ficará em órbita durante dois anos, durante os quais será usado no treinamento de manobras necessárias para a construção da estação espacial. Depois de Rússia e Estados Unidos, a China foi o terceiro país do mundo a enviar um astronauta ao espaço, em 2003.

A astronauta Liu é acompanhada do veterano astronauta Jing Haipeng, 45, e de outro estreante, Liu Wang, 43. Todos são pilotos e oficiais do Exército de Libertação Popular.

Terceira potência espacial do mundo, a China é o país que avança mais rapidamente em suas ambições de conquista do espaço, cujo objetivo final é enviar astronautas à Lua por volta de 2025. A China não participa da Estação Espacial Internacional por divergências com os EUA e decidiu construir sua própria estrutura.

Major do Exército de Libertação Popular, Liu tem 33 anos e 1.680 horas de voo. Ela foi recrutada como candidata a astronauta em 2010. Há três meses, ficou entre seis finalistas e seu nome só foi divulgado na sexta-feira. Na infância, quis ser motorista de ônibus e, depois, advogada. Suas expectativas mudaram quando visitou uma unidade do Exército de Libertação Popular. Decidiu que queria ser piloto.

Liu é casada, mas não tem filhos, o que contraria informação anterior divulgada pela imprensa oficial chinesa, segundo a qual a maternidade seria uma dos critérios para seleção da primeira astronauta chinesa. A imprensa estatal também afirmou que as candidatas não podiam ter cheiro nem mau hálito. Em entrevista à rede oficial CCTV, Liu disse que discutirá com o marido a possibilidade de ter filhos depois de voltar da missão. "Amo crianças e a vida. Ser uma dona de casa e passar tempo com a família é um tipo de felicidade, mas ser uma astronauta talvez seja um outro tipo de felicidade, que nem todo mundo pode ter."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.