China liberta ativista pró-democracia após nove anos de prisão

Um ativista político chinês que participou das manifestações pró-democracia da Praça da PazCelestial em 1989 foi libertado neste domingo depois de passar nove anos na prisão, informou sua mãe. Li Hai, de 50 anos, foi condenado em 1996 por difundir segredos de Estado ao compilar listas com o nome de pessoas detidas depois da repressão de 4 de junho de 1989 contra manifestantes na Praça da Paz Celestial, situada em Pequim. "Ele voltou hoje pela manhã", disse Gong Liwen, mãe de Li, em conversa por telefone. "Estamos muitos felizes, mas ainda não há liberdade. Sempre que saímos, as pessoas nos observam", queixou-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.