China manterá intenção de ajudar Europa, diz vice-premiê

A China seguirá trabalhando com a Itália e a União Europeia, por meio de uma "cooperação efetiva", para ajudar a resolver a crise de dívida soberana da zona do euro, informou a TV estatal chinesa, citando o vice-primeiro-ministro, Li Kegiang. Li fez os comentários durante encontro com o primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, disse a CCTV, sem oferecer detalhes.

CYNTHIA DECLOEDT, Agência Estado

01 de abril de 2012 | 11h55

A China tem repetidamente expressado intenção de ajudar a União Europeia a encontrar uma saída para a crise, mas não anunciou nenhum compromisso específico.

O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, disse à chanceler alemã Angela Merkel, em fevereiro, que considerava um envolvimento mais profundo nos fundos de resgate da zona do euro, mas ao mesmo tempo destacou que a Europa precisava cuidar de seus próprios problemas.

Em encontro com Monti no sábado, Wen expressou confiança na capacidade de a Itália lidar com o difícil ambiente externo, segundo reportou a agência de notícias Xinhua.

Monti reuniu-se também com Lou Jiwei, o presidente do fundo soberano China Investment Corp, ontem. Mas Monti disse que nenhum plano concreto de investimento na Itália foi selado. A China, com reservas superiores a US$ 3 bilhões, tem sido sondada como potencial fonte provedora de recursos e seu fundo soberano ativamente cortejado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaEuropacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.