China minimiza risco de deslizamento em represa Três Gargantas

Autoridades da China responsáveis pelarepresa de Três Gargantas disseram nesta terça-feira quegastaram bilhões de yuans na proteção contra os trágicosdeslizamentos em torno da reserva e que haverá mais medidaspreventivas quando a água tomar conta do lugar. A represa, parte do maior projeto hidrelétrico do mundo, norio Yang-tsé, provocou o deslocamento de 1,4 milhão de pessoas,muitas delas agricultores pobres de áreas acidentadas de Hubei(centro da China) e do vizinho município de Chongqing. Cientistas dizem que a subida das águas já provocou erosãonas margens, provocando deslizamentos que podem se agravarquando a água atingir uma altura máxima de 175 metros acima donível do mar, dentro de um a dois anos. Mas, em entrevista coletiva, as autoridades disseram quenos últimos anos foram destinados 12 bilhões de yuans (1,6bilhão de dólares) para "reparos geológicos", e que há otimismoquanto ao resultado desses trabalhos. "Eu os descreveria como um controle efetivo. É claro que ocontrole efetivo não significa que no futuro não haveriadeslizamentos ou que ameaças não surgiriam," disse WangXiaofeng, diretor do projeto Três Gargantas. "O governo chinês está monitorando de perto eintensificando as obras de reparo, e acho que podemos evitarprejuízos na medida do possível", acrescentou. Li Yong'na, gerente-geral da construtora responsável peloprojeto, disse que a barragem não provocou nenhum "grande"deslizamento ao longo do Yang-tsé, uma frase dúbia em relaçãoao que acontece nos afluentes que chegam à represa. Li tampouco quis especificar áreas de risco ou o número dedesabrigados por causa da ameaça. Na semana passada, um ônibus foi esmagado por umdeslizamento em Badong, na província de Hubei, perto de umafluente da represa, matando 31 pessoas. Um operário de umaferrovia próxima também foi morto, e há dois desaparecidos. Em meados do ano, deslizamentos na região da represamataram pelo menos 13 pessoas, segundo a imprensa local e aagência ambiental da represa. Alguns moradores já foramorientados a se mudar. Desde a conclusão da barragem de 2.309 metros, em 2003, onível da água sobe por etapas, atingindo 156 metros no anopassado. O governo sempre se empenha em defender o projeto TrêsGargantas de suspeitas de poluição e danos geológicos na regiãoda represa, cujas margens ocupam 660 quilômetros. Em setembro, depois de anos de elogios oficiais ao projeto,as autoridades admitiram a possibilidade de uma "catástrofeambiental" por causa da poluição e dos deslizamentos. Mas Wang disse na entrevista coletiva que não há novidadeno alerta e que as ameaças ambientais estão controladas. Recentemente, o engenheiro Pan Jiazheng, que participa daobra, acusou a imprensa estrangeira de "distorcer" e exagerarproblemas como o surgimento de algas ao longo dos afluentes."Não descrevam um gatinho como um tigre", disse Pan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.