China nega venda de armas a ditadura

A China negou ontem ter vendido armas ao regime de Muamar Kadafi enquanto rebeldes líbios tentavam depor o ditador, como denunciou um jornal canadense. Pequim confirmou que emissários de Kadafi visitaram o país em julho para comprar armamento, mas o governo chinês garante que nenhum contrato foi firmado, tampouco foram enviadas armas a Trípoli. Na ocasião, o Conselho de Segurança já havia imposto embargo de armas à Líbia. / AP

, O Estado de S.Paulo

06 Setembro 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.