China nomeia oficialmente principais diplomatas e ministro da Defesa

A China nomeou oficialmente seus dois principais diplomatas e o ministro da Defesa neste sábado, posições que já foram assinaladas com antecedência como parte do novo governo do presidente Xi Jinping e do premiê Li Keqiang.

Reuters

16 de março de 2013 | 10h34

Yang Jiechi, embaixador em Washington de 2001 a 2005 e que tem um inglês perfeito, deixa o cargo de ministro das Relações Exteriores para assumir o cargo de conselheiro de Estado com a responsabilidade pela política externa. O país só tem cinco conselheiros desse tipo e o cargo é tão sênior como o de ministro das Relações Exteriores.

Yang, de 62 anos, foi substituído no cargo de ministro das Relações Exteriores por Wang Yi, o embaixador da China no Japão de 2004 a 2007 e o homem de Pequim na Coreia do Norte.

Ambos foram eleitos pelos delegados do Partido Comunista na sessão anual do Parlamento, em reunião no Grande Salão do Povo no centro de Pequim.

Chang Wanquan, que administrava o ambicioso programa espacial chinês, foi escolhido como ministro da Defesa.

De passado humilde, ele tem defendido a modernização das Forças Armadas e era o favorito para o posto.

Embora ele esteja na Comissão Militar Central, chefiada pelo presidente Xi, ele não é um de seus vice-presidentes. O ministro da Defesa é mais um testa de ferro que será o rosto do establishment militar chinês para o mundo exterior.

(Reportagem de Sui-Lee Wee e Ben Blanchard)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINADIPLOMATASDEFESA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.