Kin Cheung/AP
Kin Cheung/AP

China vai testar habitantes de Hong Kong três vezes em março

Pequim vai assumiu coordenação da estratégia anticovid no território

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2022 | 22h34

PEQUIM - As autoridades da China continental vão assumir a coordenação da estratégia de Hong Kong frente à covid-19, anunciou a chefe do Executivo do território semiautônomo, Carrie Lam, em meio ao pior surto de coronavírus desde o surgimento da pandemia.

"A epidemia, que se agrava com rapidez, excedeu amplamente a capacidade do governo de Hong Kong de enfrentá-la. Como consequência, o apoio do governo central se tornou absolutamente indispensável para combater o coronavírus", disse Lam à imprensa, acrescentando que o chefe do escritório de ligação com Pequim, Xi Baolong, assumirá a política sanitária do enclave.

Carrie informou ainda que toda população de Hong Kong deverá fazer três testes obrigatórios de detecção da covid-19 no mês de março e que "aqueles que não se submeterem aos testes serão responsabilizados".

Hong Kong atravessa uma quinta onda de covid-19, a pior desde o início da pandemia, registrando milhares de novos casos por dia.

Escolas e muitos estabelecimentos comerciais e de outra natureza, como academias, bares e salões de beleza, permanecerão fechados até o fim de abril. As instituições de ensino serão usadas durante a campanha como centros de testes da covid-19. 

Os voos procedentes de nove países, entre eles Reino Unido, Estados Unidos e França, continuarão proibidos. 

Lam também confirmou que Hong Kong aplicará a medida de isolar todas as pessoas que testarem positivo para coronavírus – incluindo as assintomáticas – em centros especiais de quarentena erguidos com a ajuda do governo chinês. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.