China orienta imprensa contra 'pontos de vista errados'

PEQUIM - O Partido Comunista Chinês determinou nesta segunda-feira, 23, que a imprensa estatal pare de noticiar "pontos de vista errados", e ao invés vez disso cubra histórias positivas, que promovam "valores socialistas".

O Estado de S. Paulo,

23 de dezembro de 2013 | 10h42

Há décadas a imprensa estatal serve como veículo de propaganda partidária, mas reformas feitas nos últimos anos deram um caráter mais comercial aos meios de comunicação, além de um relativo aumento na independência editorial. Isso, junto com a ascensão das redes sociais, enfraqueceu os controles governamentais, segundo acadêmicos.

Como resposta, o presidente Xi Jinping vem comandando, desde sua ascensão ao poder, uma onda de repressão para tornar os jornais mais alinhados à ideologia do governo.

De acordo com as novas diretrizes que buscam reforçar "os valores socialistas centrais", os meios de comunicação devem "manter resolutamente a correta orientação da opinião pública".

"Fortaleçam a gestão da mídia, não ofereçam canais para a propagação de pontos de vista errados", dizem as diretrizes, divulgadas pela agência estatal Xinhua.

"Os órgãos noticiosos e editoriais e quem trabalha no setor devem fortalecer a autorregulamentação e aumentar com seriedade seu senso de responsabilidade e a capacidade de promover os valores socialistas centrais", acrescenta o texto. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaMídiapropaganda partidária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.