China pede ajuda à Interpol para prender suspeito

A China lançou uma busca internacional para prender Ismail Yusup, acusado de arquitetar o ataque a uma estação de trem no mês passado. O jornal estatal China Daily publicou que o pedido de busca já foi enviado à Interpol e, além de Yusup, outros parceiros também são procurados.

AE, Agência Estado

19 Maio 2014 | 01h41

A reportagem diz que Yusup é membro do Movimento Islâmico do Turquestão Oriental e organizador do ataque de 30 de abril a uma estação de trem na região de Xinjiang, que resultou em três mortos e 79 feridos. Xinjiang é conhecida como Turquestão Oriental por alguns dos nativos da área, do grupo étnico muçulmano uigur, que há anos sustentam uma luta de baixa intensidade contra o domínio chinês.

Pequim diz que uma militância organizada com elementos baseados no exterior está por trás do crescente número de atentados terroristas, mas há poucas evidências que sustentem a argumentação.

Logo após o atentado às torres gêmeas de 11 de setembro de 2011, os EUA colocaram o Movimento Islâmico do Turquestão Oriental em uma lista de observação terrorista, mas posteriormente retiraram o grupo em meio a dúvidas de que ele exista de algum modo organizado. Eles ainda são listados como grupo terrorista pela Organização das Nações Unidas (ONU), onde a China possui um dos cinco assentos permanentes no Conselho de Segurança.

O China Daily e outros jornais estatais disseram que Yusup ordenou que 10 "parceiros" se preparassem para o ataque na cidade de Urumqi uma semana antes de a ação acontecer de fato. Dois deles morreram em uma explosão durante o ataque e os outros oito foram capturados pela polícia, segundo a mídia local. Em março, outro ataque semelhante resultou na morte de 29 pessoas, na cidade de Kunming. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
China terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.