Reuters
Reuters

China pede cessar-fogo e negociações para transição na Síria

Proposta chinesa, no entanto, não fala sobre a deposição do presidente sírio Bashar Assad

AE, Agência Estado

01 de novembro de 2012 | 13h05

PEQUIM - A China pediu, nesta quinta-feira, 1, por um cessar-fogo gradual e negociações para uma transição política que encerre a guerra civil na Síria. "A situação na Síria ainda é muito grave. A transição política enfrenta muitas dificuldades", afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Hong Lei.

A proposta de quatro pontos divulgada nesta quinta-feira não menciona a deposição do presidente Bashar Assad e não cita medidas para obrigar seu cumprimento. Ao lado da Rússia, a China continuamente vem bloqueando qualquer intervenção estrangeira que possa tirar Assad do poder, contrariando os Estados Unidos e outros países que querem dar um fim imediato ao conflito, que em 19 meses matou cerca de 36 mil pessoas.

A proposta chinesa pede que a comunidade internacional apoie o enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe para o conflito, Lakhdar Brahimi. Uma trégua deve ser implementada "por distrito e em estágios", resultando em um cessar-fogo total, e os lados envolvidos precisam nomear negociadores e manter as instituições do país, afirmou a proposta.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.