China pede garantias de segurança para seus cidadãos nas Filipinas

Governo chinês evitou polemizar, mas condenou o fato e anunciou o envio de um grupo de trabalho para tratar da repatriação dos corpos e de outras atividades relacionadas ao fato

Efe

24 de agosto de 2010 | 04h51

PEQUIM - Neta terça-feira, 24, o governo da China ofereceu condolências aos familiares dos oito turistas de Hong Kong mortos no sequestro de um ônibus em Manila e pediu às Filipinas que garantam a segurança dos cidadãos chineses e suas propriedades nesse país.

Em comunicado do porta-voz de Assuntos Exteriores chinês Ma Zhaoxu, publicado na madrugada desta terça-feira pela agência oficial Xinhua, o governo chinês condenou o fato e anunciou que enviará um grupo de trabalho às Filipinas para tratar da repatriação dos corpos e de outras tarefas relacionadas ao fato.

O governo chinês evitou polemizar sobre o incidente, mas o chefe executivo de Hong Kong, Donald Tsang, criticou na segunda-feira à noite o trabalho da polícia filipina no caso, que causou grande indignação na ex-colônia britânica.

Os internautas chineses, em vários foruns na internet, lançaram duras palavras contra os policiais que participaram do resgate, a que culpam pelas mortes.

O ex-policial filipino Rolando Mendoza, de 55 anos, sequestrou um ônibus de turistas de Hong Kong em Manila, com 25 pessoas a bordo, com o objetivo de conseguir sua reinserção no corpo policial, de onde foi expulso em 2008 por envolvimento em um caso de extorsão e narcotráfico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.