China pede para Rússia investigar suposto ataque a navio

O Ministério de Relações Exteriores da China pediu hoje que a Rússia investigue um incidente envolvendo um navio chinês em águas próximas de Vladivostok, no extremo leste do continente asiático. Agências de notícias russas afirmaram que guardas costeiros do país abriram fogo na semana passada contra um cargueiro chinês que se preparava para deixar o porto de Nakhodka. Segundo as fontes, a embarcação naufragou em uma tempestade. O caso teria deixado oito tripulantes desaparecidos.O porta-voz do ministério chinês Jiang Yu afirmou, em uma entrevista coletiva, que o navio "deparou-se com um perigo" no domingo. Jiang se negou a comentar a versão sobre o ataque, afirmando que o ministério pediu a autoridades russas para investigarem o caso. O funcionário informou que os dez membros da tripulação eram chineses e apenas três deles foram encontrados. A agência Interfax afirmou que guardas atiraram na embarcação após ela ignorar advertências, enquanto tentava fugir para águas chinesas. Os guardas perseguiam o navio, pois ele havia deixado o porto sem notificar as autoridades. Após os tiros o navio teria seguido seu rumo, até começar a afundar durante uma tempestade. A Interfax afirmou que seguem as buscas nas geladas águas pelos desaparecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.