China planeja retomar diálogo sobre autonomia do Tibete

O governo da China planeja uma nova rodada de conversações com os enviados do dalai-lama, informou hoje a mídia estatal chinesa, alguns dias após o líder espiritual ter expressado desapontamento sobre as perspectivas de progresso por maior autonomia ao Tibete. O encontro entre as duas partes acontecerá "em futuro próximo", informou a Xinhua, agência estatal de notícias da China, sem dar uma data específica.As discussões deveriam ter ocorrido no final deste mês, mas não ficou claro se elas realmente progredirão após as declarações do dalai-lama, que é freqüentemente demonizado por Pequim. Thupen Samphel, porta-voz do auto-proclamado governo do Tibete no exílio, que funciona em Dharmsala, no norte da Índia, disse que não tinha comentários a fazer sobre o anúncio chinês.Ao citar um funcionário não nomeado, a Xinhua disse que as discussões ocorrerão apesar dos motins contra a China que aconteceram no começo do ano em Lhasa, capital do Tibete, e de "algumas sabotagens sérias feitas nos Jogos Olímpicos de Pequim, por separatistas a favor da independência do Tibete". O dalai-lama e o governo no exílio deveriam "aproveitar essa oportunidade e dar uma resposta positiva à iniciativa das autoridades centrais", disse o funcionário chinês.No começo da semana, a porta-voz do Ministério do Exterior da China, Jiang Yu, instou o dalai-lama a "entender melhor a situação, demonstrar sinceridade e fazer algo de bom para o povo do Tibete na sua vida". O anúncio feito hoje ocorreu um dia após funcionários tibetanos na Índia terem dito que o dalai-lama convocou um encontro especial de comunidades de tibetanos no exílio e organizações políticas, para discutir o futuro, em meio à falta de progresso nas conversações com a China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.