China pode estar pronta para missão lunar em 2020, diz professor

A China pode estar pronta para enviar um homem à Lua antes de 2020, se um teste com as "sondas lunares recuperáveis" der bons resultados nos próximos três anos, informou a mídia do estatal do país, citando declarações de um professor universitário. O grande desafio da missão lunar será trazer os astronautas de volta à Terra, disse Xu Shijie, da Universidade de Aeronáutica de Pequim, à agência de notícia Xinhua. "O problema-chave da tecnologia é o 'retorno'", disse o professor, acrescentando que qualquer missão à Lua também terá dois estágios preliminares de órbita e, então, de pouso na superfície da Lua. O lançamento de sondas recuperáveis de 2017 a 2020 à Lua será o teste-chave de engenharia espacial chinesa. Autoridades chinesas mostram-se, oficialmente, cautelosos sobre o fato de levar o homem à Lua e estipulam 2020 como a data final para o envio da tripulação ao espaço. No ano passado, três astronautas chineses completaram com sucesso a primeira caminhada no espaço, numa missão que durou 68 horas e foi saudada como a maior vitória dos líderes do país. A caminhada no espaço é crucial para os projetos de longo prazo para uma estação espacial e um pouso na Lua. O programa espacial da China está agora passando a uma próxima etapa de desenvolvimento para aprimorar as necessidades tecnológicas para acoplar duas naves espaciais e colocar uma estação espacial em órbita. Em 1969, os astronautas norte-americanos Neil Armstrong e Edwin "Buzz" Aldrin pousaram na Lua, os primeiros a conseguir esse feito com a missão Apollo. (Reportagem de Emma Graham-Harrison)

REUTERS

10 de março de 2009 | 18h42

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAESPACOLUNAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.