China precisa de crescimento equilibrado, diz vice-premiê

Promover o crescimento equilibrado da economia enquanto administra expectativas de inflação é o desafio para recuperar a economia, afirmou o vice-premiê da China Wang Qishan neste domingo.

REUTERS

26 de setembro de 2010 | 11h22

As incertezas sobre a economia global e o crescimento do protecionismo poderiam ser uma dificuldade para o crescimento da economia da China, segundo Wang, em entrevista à Agência Xinhua.

Uma inundação de dinheiro seguindo os esforços do governo de reduzir o impacto da crise global anteriormente elevou temores de inflação e bolhas econômicas.

A economia da China reduziu crescimento para 10,3 por cento no segundo trimestre, ante 11,9 por cento no primeiro, enquanto o inflação atingiu uma máxima de 22 meses de 3,5 por cento em agosto.

Wang garantiu que o ambiente de investimento na China será mais aberto, após queixas de países desenvolvidos sobre a política do país.

"Nós melhoraremos as leis e as regulações para investimento estrangeiro", declarou.

(Reportagem de Huang Yan e Lucy Hornby)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAECONOMIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.