China precisa de reformas judiciais, diz Suprema Corte

Mais reformas são necessárias para que o sistema judiciário da China supere os prolongados problemas com a transparência e os juízes corruptos, disse hoje Wang Shengjun, presidente da Suprema Corte do Povo. Em um relatório anual direcionado ao Congresso Nacional do Povo - o parlamento da China -, ele afirmou que a corte trabalhará para criar um melhor ambiente legal que proteja o desenvolvimento econômico e social e também aprofundará a reforma judicial em 2012.

AE, Agência Estado

11 de março de 2012 | 10h08

"Alguns tribunais não se saíram bem na tentativa de melhorar a transparência e promover um sistema judiciário democrático", informou Wang no documento. Ele criticou alguns juízes pelo atraso de audiências, acrescentando que um pequeno número deles teria recebido subornos.

Neste ano, a Suprema Corte trabalhará para reformar os procedimentos judiciais, a fim de acelerar o julgamento de casos civis envolvendo pequenas somas de dinheiro, bem como revisará as regras para que os cidadãos possam assistir às audiências, de acordo com ele. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaJustiçareformas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.