China precisa pressionar mais a Coreia do Norte, dizem EUA

O mais alto oficial militar dos Estados Unidos disse que a China precisa intensificar a pressão sobre a Coreia do Norte e se centrar nas "vulnerabilidades" do líder Kim Jong-il, afirmando que Pequim está errada se considera que o chefe norte-coreano é "controlável".

PHIL STEWART, REUTERS

27 de novembro de 2010 | 12h47

China disse estar disposta a impedir uma escalada da violência registrada nesta semana na península coreana após a Coreia do Norte ter bombardeado uma ilha sul-coreana, foi o mais violento bombardeio desde a Guerra da Coreia, de 1950 a 1953.

Mas o almirante Mike Mullen, chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas dos Estados Unidos, disse na sexta-feira que as ambições nucleares da Coreia do Norte aumentam a ameaça de instabilidade regional.

"É difícil entender por que a China não pressiona mais", afirmou Mullen ao programa GPS, da rede CNN. "A minha sensação é de que eles tentam controlar esse homem. E não estou certo de que ele seja controlável."

Ele acrescentou: "Acho que precisamos nos concentrar em obter a atenção dele, mas a China, em particular, deve se centrar nas vulnerabilidades dele." A CNN divulgou a transcrição da entrevista gravada em 24 de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINACOREIAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.