China prende 113 na região de minoria étnica Xinjiang

O governo chinês prendeu 113 pessoas na região de Xinjiang por acusações relacionadas a terrorismo, informou um portal de notícias estatal.

AE, Agência Estado

29 de junho de 2014 | 22h49

Segundo o Tianshan.net, tribunais regionais nos arredores da província de Kashgar realizaram sessões abertas para emitir as sentenças. A região de Xinjiang registra uma crescente violência nos últimos meses e abriga a minoria étnica muçulmana Uigur.

Mais recentemente, um ataque a um mercado na capital de Xinjiang, Urumqi, deixou 43 mortos, incluindo os quatro suspeitos de conduzirem o atentado. Em seguida, Pequim anunciou uma operação de um ano para combater o terrorismo.

Dilxat Raxit, porta-voz do grupo Congresso Mundial Uigur, afirmou que os tribunais de Xinjiang estão atuando com motivação política. "Eles pisaram nos direitos dos acusados de argumentar e apelar, acusando uigurs que estão se rebelando contra a supressão chinesa e expressando sua insatisfação de terroristas", afirmou, em comunicado.

Em um dos casos, um homem foi condenado a 10 anos de prisão por vender dois machadinhos, dois cutelos de cozinha e dois punhais a um homem que utilizou os objetos em um ataque no qual dois morreram e um ficou ferido. O vendedor destruiu o livro de registros no qual detalhava a venda. Segundo o Tianshan.net, ele foi julgado por abrigar criminosos. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Chinaprisãoxinjiang

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.