China prende 8 após incêndio que deixou 53 mortos

XANGAI (Reuters)- A polícia chinesa prendeu nesta terça-feira oito acusados de serem responsáveis por um incêndio em um edifício residencial em Xangai, no qual pelo menos 53 pessoas morreram. As autoridades atribuíram a tragédia a obras realizadas sem licença, fato que representa preocupação para o crescente número de chineses que moram em prédios.

REUTERS

16 de novembro de 2010 | 12h01

O fogo se espalhou pelo prédio de 28 andares, provocando nuvens grossas de fumaça que pairavam sobre a cidade.

"O fogo começou porque alguém estava soldando ilegalmente no 10o andar e as faíscas provocaram o grande incêndio. As fagulhas atingiram uma estrutura de náilon do lado de fora do edifício", disse o subchefe da polícia de Xangai, Cheng Jiulong, em entrevista à imprensa.

Ele informou que oito pessoas serão processadas por "responsabilidade por um grande incêndio", mas não quis responder às repetidas perguntas sobre quem eram os detidos.

Anteriormente, a agência oficial de notícias Xinhua havia dito que os detidos eram quatro.

A atuação rápida das autoridades para indicar suspeitos de terem provocado o incêndio mostra a preocupação em acalmar os moradores pelo fato de os bombeiros terem levado mais de quatro horas para pôr fim às chamas, o que motivou reclamações de pessoas resgatadas.

No ano passado, 1.076 pessoas morreram e 580 ficaram feridas em incêndios na China, segundo dados oficiais.

(Por Farah Master e Anita Li)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAINCENDIODETIDOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.