China prende manifestantes após confrontos com polícia

Autoridades da China prenderam várias pessoas na cidade de Haimen, no sul do país, após protestos contra uma usina de energia movida a carvão terminarem em confrontos com a polícia, disse um funcionário nesta quinta-feira. A polícia antidistúrbio utilizou gás lacrimogêneo, durante o terceiro dia de protestos no local.

AE, Agência Estado

22 de dezembro de 2011 | 10h06

Milhares de pessoas na cidade de Haimen confrontaram a polícia, segundo manifestantes. Um funcionário do Partido Comunista na cidade, identificado como Chen, disse que algumas pessoas que haviam participado de "atividades ilegais que ameaçam a segurança pública" mais cedo nesta semana haviam sido detidos, mas não soube dizer quantos.

Um morador, também identificado como Chen, afirmou que milhares de pessoas se reuniram para enfrentar um bloqueio da polícia em uma rodovia. "A polícia impôs uma barreira na rodovia e ameaçou prender quem ousasse cruzar", relatou o morador.

Os manifestantes dizem que uma usina de energia movida a carvão, já existente, contribuiu para o aumento no número de casos de câncer na área e também para a grande poluição no mar, um problema sério na comunidade que depende da pesca para viver. Um morador de Haimen, Lin Fujin, disse que a intenção era pedir ao governo central que parasse a construção de uma outra usina, perto da já existente. "A poluição transformou o céu em negro e os peixes estão mortos", afirmou Lin. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.